Contato

jklws@hotmail.com

2014年1月10日星期五

CAPITÃO


Mauricio Carvalho ficará no Juventus para a disputa da série A3 e concedeu uma entrevista bem interessante ao portal Esporte Interativo que vale a pena ser lida.

Não vou colocar a matéria toda pois em metade dela o jornalista fazia perguntas sobre o Neymar (eeeee futebol e mídia vendidos), incrível como até em uma entrevista com o zagueiro do Juve a mídia tem que enfiar esse Neymidia no meio, pelo amor de Deus. Segue o link da matéria completa.
(http://br.esporteinterativo.yahoo.com/noticias/hoje-capit%C3%A3o-do-juventus--maur%C3%ADcio-carvalho-lembra-do-in%C3%ADcio-de-neymar---nunca-ganhava-de-n%C3%B3s-110509007-soccer.html)

Segue os bons pedaços desta reportagem com o Maurício Carvalho:


Quem vai à Rua Javari assistir a um jogo do Juventus-SP vê o capitão Maurício Carvalho e logo pensa que se trata de um veterano passando a experiência para os garotos, em um time que em 2014 disputará a Série A-3, na prática a terceira divisão paulista. Porém, a história do zagueiro no futebol é curta, apesar de não ser simples de ser contada.

Com a barba que aparenta muito mais do que seus 21 anos, Maurício não esconde que desperdiçou uma grande chance na carreira. Revelado na base do São Paulo e campeão duas vezes com as seleções sub-15 e sub-17, o zagueiro admite que achava que estava em um nível superior ao que realmente estava. Desvirtuou-se do foco no treinamento, queria sua vaga na zaga profissional do São Paulo e deixou o clube: "Não fui humilde".

Maurício, como foi sua carreira até chegar ao Juventus?
Eu iniciei minha carreira aos 12 anos no São Paulo, e eu fiquei até 2011, quando recebi uma proposta do Pelotas-RS. Me arrisquei, pedi a rescisão para o São Paulo, pois tinha contrato até fim de 2013. Eu queria jogar no profissional de qualquer jeito, mesmo sendo um clube de menor expressão. Fui para o Sul mas não deu certo. Fui contratado pelo presidente, mas a diretoria não sabia, foi um conflito de interesses. Fiquei lá apenas duas semanas e depois muito tempo parado. Fui para o Bragantino e cheguei ao Juventus em abril deste ano. 

Como foi sua saída do São Paulo? Você se destacava na base, não?
Com certeza, desde o começo fui bem e fui campeão de vários campeonatos. Tive 11 convocações para as seleções de base até o sub-17, fui campeão sul-americano sub-15 e sub-17. O problema é que fui muito imaturo na época do São Paulo, achei que estava em um nível que não estava. Eu achava que tinha que jogar no time profissional de qualquer jeito, pois ia bem nos treinos lá. Eles diziam que ainda não era a hora, mas me equivoquei principalmente nos treinamentos, era preguiçoso. Hoje tenho outra cabeça, é trabalho primeiro lugar.



Você está fez bom jogos pelo Juventus em 2013. Teve propostas para sair do clube?
Só especulações, pois proposta concreta mesmo eu só tive de renovação do Juventus. E renovei por um ano. Um diretor da Portuguesa me procurou, assim como houve sondagens da Ponte Preta, do São Bernardo, e até o Everton, da Inglaterra. Quem sabe… Estou feliz aqui no Juventus, tenho uma identificação com a torcida. No meio de 2014 ou no fim, se algum clube fizer uma proposta vamos analisar.

Como foi a experiência do rebaixamento com o Juventus no Campeonato Paulista e depois a  boa campanha na Copa Paulista, que teoricamente tem os times com muitas apostas e elencos mais baratos?
Cheguei em abril, com o Juventus já rebaixado. O grupo estava desacreditado, e na Copa Paulista tinham times com mais expressão e com folhas salariais muito maiores. Teve jogo que viajamos 3, 4 horas para jogar, sem dormir direito, e jogamos bem. Ninguém dava nada, mas fizemos uma boa fase de grupos e chegamos às quartas de final. Levantamos o moral do Juventus. 

O que você espera da Série A-3? Espera diferença em relação à Copa Paulista?
Com certeza vai ser mais difícil. Minhas expectaviva é ser campeão, subir esse time, levar para elite, onde é o lugar dele.

Você já conhecia o novo técnico, Serginho? Vai continuar como capitão?
Conhecia como adversário, ele era do Audax. O começo de trabalho dele aqui vem sendo excepcional, ele falou algumas coisas que nunca tinha visto. Ele vem com novidades, montando um time forte para chegar no nosso objetivos. Eu devo continuar a ser capitão, mas ele não chegou para mim ainda e falou "você é o capitão".

Com relação a outras torcidas que você viu, o que tem a dizer sobre a do Juventus? Ela é pequena comparada aos grandes clubes, mas é mais exigente do que as dos times dessa divisão…
É uma torcida fanática, que lota a Javari, inclusive vi em uma reportagem que a média estava maior que de alguns clubes da Série A (a média de público do Juventus na Copa Paulista foi de cerca de 1000 pagantes por jogo). As pessoas gostam, veêm com a família, acompanham, e cobram o resultado. A torcida ficou brava com a queda, mas agora o pessoal na rua cobra incentivando.